NOSSO ADEUS AO ORFEU.
E no Dia Internacional dos Direitos dos Animais, mais um cãozinho morre em um abrigo. Até poderia ser mais um dos milhares que todos os dias partem deixando apenas o seu espaço vazio em um canil. Nada mais do que isso. Mas para nós não. ORFEU, de nome mitológico, era um daqueles cães que vão ficando, ficando e acabam virando mais um "nosso cão". Ele já estava vivendo em nosso abrigo 7 dos seus 11 anos de vida.
Nossa veterinária, Dra, Michelly, nos confidenciou em um grupo fechado no Whats (e nos desculpe por contar isso Doutora): "Tentei fazer ele se sentir um fofo amado. Eu o abracei e o beijei, mas ele pareceu não sentir isso, pois era algo que nunca teve". E, com tristeza, completou: "procurei falar em seus ouvidos o quanto ele era amado, mas ele também pareceu não se importar com isso, pois também não sabia o que era amor".
Para nós do Cão Sem Dono é muito dolorido saber que lá se foi o ORFEU, sem um lar, sem uma família só dele, sem um cantinho no sofá ou no tapete, sem quem sorrisse para ele todas as manhãs e o afagasse todas as noites antes de dormir.
ORFEU nos deixou esta tarde vítima de problemas renais. Ele esperou um lar que nunca lhe veio. Cansou.
(Nós o amávamos, mas não era esse o amor que ele queria)